segunda-feira, 22 de abril de 2019

Na Bahia, caminhoneiros aguardam sinalização da CNTA para aderir à greve

Lorenzoni, como é chamada a paralisação, deve começar a partir da meia-noite da próxima segunda-feira (29) Milena Teixeira

O reajuste de R$ 0,10 no preço do diesel provocou o anúncio de uma possível paralisação dos caminhoneiros na última semana. A Lorenzoni, como é chamada a greve, pode começar a partir da meia-noite da próxima segunda-feira (29).
Na Bahia, alguns caminhoneiros aguardam a sinalização da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) para aderir à greve. De acordo com o coordenador do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Estado (Sindicam), José Bioni, os trabalhadores ainda não receberam “nenhuma orientação”.
“Nós não recebemos nada oficial ainda, mas vamos aguardar o que a confederação vai dizer. A gente só tem informações de movimentos isolados, que são associações livres de caminhoneiros, falando dessa greve. A gente não sabe se eles vão participar, mas vamos esperar. Nosso presidente vai ligar para as bases para saber”, disse o representante da categoria.
Para Bioni, o aumento é vai prejudicar os caminhoneiros. “Pagamos muito imposto, então, qualquer aumento é absurdo. Pesa muito para nós”, afirmou o coordenador.
Reunião para decidir 
Integrantes da CNTA se reúnem nesta segunda (22) com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para discutir a paralisação e o preço do diesel, que passará a ser vendido por R$ 2,2470 nas distribuidoras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário