quarta-feira, 28 de junho de 2017

Ex-primeira-dama da PB tem fotos íntimas vazadas e diz que foi alvo de hacker

A ex-primeira-dama da Paraíba Pâmela Bório divulgou na noite da terça-feira (27) que teve fotos íntimas vazadas em redes sociais. Segundo ela, as imagens foram adquiridas por meio de um aparelho celular que foi hackeado entre os anos de 2013 e 2014, período em que ainda era casada com o governador Ricardo Coutinho (PSB). De acordo com Pâmela, uma denúncia de crime cibernético com base na “Lei Carolina Dieckmann” vai ser feita à Polícia Federal.

Em uma postagem feita no seu perfil pessoal do Instagram, Pâmela Bório explica que recebeu fotos pessoais antigas e que o rastreamento dos compartilhamentos das imagens vai ser feito.

A “Lei Carolina Dieckmann” entrou em vigor em 2 de abril de 2013. Ela tornou crime a invasão de aparelhos eletrônicos para obtenção de dados particulares e foi apelidada com o nome da atriz após fotos em que ela aparecia nua terem sido divulgadas na internet.

 A foto que ilustra a postagem da ex-primeira-dama da Paraíba é uma composição de várias partes de um boletim de ocorrência que, segundo Pâmela Bório, foi feito na Delegacia da Mulher à época da invasão ao aparelho.

“Registro da Delegacia da Mulher, onde estão diversas denúncias, entre elas o hackeamento do meu celular entre 2013 e 2014, até a implantação de um dispositivo de gravação acoplado no telefone fixo do meu criado-mudo da suíte principal da residência oficial, onde eu dormia nesse período até março de 2015”, diz Pâmela.


WhatsApp libera função para apagar mensagens enviadas

Uma função muito aguardada no WhatsApp, finalmente está começando a ser liberada aos usuários. O recurso "Anular" chega para deixar que você apague mensagens enviadas — diferente da capacidade atual, se você apagar uma mensagem de alguma conversa no seu celular, ela também será apagada do celular do destinatário.
 
Porém, existem algumas "regras" para isso. "O recurso Anular permite que você anule uma mensagem específica enviada para um grupo ou para uma conversa individual. Você só pode anular uma mensagem até cinco minutos após seu envio. Uma vez que os cinco minutos se passaram, não há nenhuma maneira de anular a mensagem", explica o WhatsApp.
 
Isso significa que, se você enviar alguma mensagem, tem até cinco minutos para considerar se realmente quer apagar ou não o que escreveu. A novidade já está listada na área de FAQ no site oficial do WhatsApp e, ao que tudo indica, os usuáros vão começar a receber a funcionalidade entre as próximas semanas.
 
"As mensagens que você anular com êxito desaparecerão das conversas dos seus contatos. Da mesma forma, se você vir 'Esta mensagem foi anulada' em uma conversa, isso significa que o remetente anulou a mensagem dele", diz o WhatsApp deixando claro que, apesar de você conseguir apagar a mensagem, o destinatário vai saber do sumiço por causa da mensagem automática que fica no mesmo espaço.
 
Para apagar as mensagens:
 
No Android, simplesmente toque e segure continuamente na mensagem para que ela seja destacada, em seguida toque no Botão Menu > Anular. 
 
No iPhone e Windows Phone, simplesmente toque e segure continuamente na mensagem para que ela seja destacada, em seguida toque em Anular
 
 

WhatsApp pode ser usado para intimações judiciais, decide CNJ

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou, por unanimidade, a utilização do aplicativo WhatsApp como ferramenta para intimações em todo o Judiciário.

 A decisão foi tomada durante o julgamento virtual de um processo que tratava da proibição do uso do aplicativo no âmbito do juizado Civil e Criminal da Comarca de Piracanjuba, em Goiás. Lá, a ferramenta era usada pelo juiz Gabriel Consigliero Lessa desde 2015 foi destaque no Prêmio Innovare daquele ano.

O uso do aplicativo de mensagens como forma de agilizar e desburocratizar procedimentos judiciais se baseou na Portaria n. 01/2015, elaborada pelo Juizado Especial Cível e Criminal de Piracanjuba em conjunto com a Ordem dos Advogados do Brasil daquela cidade.

O texto da portaria dispõe sobre o uso facultativo do aplicativo, somente às partes que voluntariamente aderirem aos seus termos. A norma também prevê a utilização da ferramenta apenas para a realização de intimações. Além de facultativa, a portaria exige a confirmação do recebimento da mensagem no mesmo dia do envio; caso contrário, a intimação da parte deve ocorrer pela via convencional.

Para o magistrado, autor da prática de uso do WhatsApp para expedição de mandados de intimação, o recurso tecnológico se caracterizou como um aliado do Poder Judiciário, evitando a morosidade no processo judicial. “Com a aplicação da Portaria observou-se, de imediato, redução dos custos e do período de trâmite processual”, disse Gabriel Consigliero Lessa.


terça-feira, 27 de junho de 2017

Inhambupe - Polícia encontra dois pés de maconha dentro de casa abandonada

Nesta segunda-feira (26/6), dois pés de maconha foram encontrados pela Polícia Militar (PM) no interior de uma casa abandonada no centro de Inhambupe.

Durante ronda, a guarnição da PM estranhou uma movimentação estranha na residência e encontrou as plantas, que têm aproximadamente um metro, cada. Elas estavam sendo cultivadas no local.

Ainda conforme a polícia, ninguém foi preso. As plantas foram apresentadas na Delegacia Territorial de Inhambupe.|Informações da PM

Avião com 500 quilos de cocaína decolou de fazenda do ministro da Agricultura

Avião foi interceptado pela FAB

O avião interceptado com 500 Kg de cocaína neste domingo pela Força Aérea Brasileira (FAB) decolou de uma fazenda em Mato Grosso pertencente a família do ministro da Agricultura, Blairo Maggi. A informação foi confirmada pela própria FAB.

De acordo com a Força Aérea, o avião bimotor, matrícula PT-IIJ, decolou da Fazenda Itamarati Norte, no município de Campo Novo do Parecis (MT), que está registrada em nome do Grupo Amaggi, empresa da família de Blairo.

Em nota, o Grupo Amaggi informou que tomou “conhecimento do caso por meio da imprensa e aguarda o desenrolar das investigações sobre a propriedade da aeronave e as circunstâncias exatas em que ela – conforme afirma a FAB – teria pousado na Fazenda Itamarati e decolado a partir de uma de suas pistas”. Além disso, destacou que a empresa “não tem qualquer ligação com a aeronave descrita pela FAB e não emitiu autorização para pouso/decolagem da mesma em qualquer uma de suas pistas”.

Globo divulga primeira imagem de divulgação da nova versão de Os Trapalhões

Saiu nesta terça-feira a primeira imagem de divulgação dos atores Lucas Veloso (Didico), Bruno Gissoni (Dedeco), Mumuzinho (Mumu) e Gui Santana (Zaca), na nova versão de "Os trapalhões" da TV Globo. Os roteiros de Renato Aragão contam a história de Didi, interpretado por ele próprio, e seu amigo Dedé Santana, mostrando aos novatos como eles também podem ser trapalhões.

 Além da participação dos dois veteranos, o elenco conta com Nego do Borel, que interpretará Tião Macalé. O programa, sob direção de Ricardo Waddington, vai ao ar em 17 de julho no Canal Viva, mas depois também será transmitido na TV aberta.

Kannário responderá por desacato em polêmica com a PM durante Micareta de Feira

O vereador de Salvador e cantor Igor Kannário prestou depoimento, na manhã desta terça-feira (27), na delegacia de Feira de Santana, localizado a 108 km de Salvador, por causa da denúncia feita contra ele de desacato ao funcionário público em serviço durante a Micareta da cidade, quando acusou a Polícia Militar de agredir foliões e declarou que é mais autoridade que a PM.

Kannário chegou acompanhado da assessora e o motorista, o advogado já o esperava na delegacia. O vereador falou com a imprensa local e, segundo o site Acorda Cidade, afirmou que respeitava a Polícia Militar. “Eu só quero paz. Não tenho nenhuma mágoa da polícia, tenho total respeito pela instituição. Em certos momentos alguns policiais têm posturas mais elevadas, mas acho que os comandantes têm discernimento para fazer o seguimento das guarnições e seus componentes. Naquele dia foi apenas o calor da emoção”, afirmou.

O delegado João Rodrigo Uzzum informou que o depoimento do vereador e cantor foi tranquilo e respeitoso. Kannário afirmou que estava em um momento sob forte emoção e disse que não teve a intenção de denegrir a Polícia Militar.


segunda-feira, 26 de junho de 2017

Lula lidera, e 2º lugar tem empate de Bolsonaro e Marina, aponta Datafolha

Pesquisa realizada pelo Datafolha sobre intenções de voto para a disputa presidencial de 2018 aponta que o ex-presidente Lula (PT) manteve a liderança, com 29% a 30% das intenções de voto, seguido por Marina Silva (Rede) e Jair Bolsonaro (PSC).
 
O deputado federal registra tendência de alta. Tinha 8% em dezembro de 2016, passou a 14% em abril e agora aparece com 16%, sempre no cenário em que o candidato do PSDB é o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.
 
O tucano, por sua vez, oscilou positivamente em simulações de primeiro e segundo turnos, mas a sua rejeição cresceu para 34%, atrás apenas da de Lula.
 
O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa (sem partido), aparece com 11%, em quarto.
 
Nos cenários testados para eventual segundo turno, Lula ganha de Bolsonaro e dos tucanos Alckmin ou João Doria, prefeito de São Paulo.
 
O petista empata com Marina e com o juiz Sergio Moro (sem partido) na margem de erro, de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
 
Marina vence Bolsonaro, e Ciro Gomes (PDT) empata com Alckmin e com Doria.
 
CENÁRIOS
 
Acusado na Lava Jato de corrupção e organização criminosa, entre outros crimes, o que ele nega, Lula vence em todos os cenários de primeiro turno simulados.
 
Quando disputa com Alckmin, o petista fica com 30%, e o tucano, com 8%, em terceiro. Embolados em segundo aparecem Bolsonaro, com 16%, e Marina, com 15%.
 
O cenário com Doria é similar: Lula, na dianteira, tem 30%, Marina e Bolsonaro, 15% cada um, e o prefeito, 10%.
 
Quando incluído, Joaquim Barbosa fica numericamente na quarta posição, à frente de ambos os tucanos, mas em empate técnico.
 
Em caso de o ex-presidente petista não disputar, o cenário fica mais conturbado.